Pesquisar este blog

domingo, 11 de janeiro de 2015

Vlad III Draculea. Mais que um conto medieval

O filme 'Drácula-A História Desconhecida' foi para os cinemas,como sempre,recheado de fantasias históricas irreais. Mas,pelo menos,serviu à diversão da população.

A história,como a ficção de Bram Stoker,começa na cidade de Sighisoara,no principado da Transilvânia.Ali,em dezembro de 1431,nasceu Vlad III.Mais tarde,devido ao ingresso de seu pai,Vlad II,na Ordem do Dragão,recebeu o apelido de Draculea(em moldávio antigo significa 'O Filho do Dragão').Governou a Valáquia,sua terra(nasceu na Transilvânia porque nasceu no exílio)em 1447-48, 1456-62 e 1476,quando morreu.Nesse período recebeu o apelido de Vlad Tsepesh,ou Vlad Empalador.Este apelido vinha do modo peculiar de execução de suas vítimas:o empalamento. As vítimas eram amarradas em estacas não muito afiadas e cobertas com óleo.Em seguida eram introduzidas em seus corpos,na boca,ânus ou estômago,e eram puxadas por cavalos até saírem pela boca.Certa vez empalou cerca de 20.000 mercadores em Brazov,cujas estacas foram preparadas para isso. Há contos sobre o cálice de ouro,que o príncipe colocou no centro de Bucareste para população beber água. O medo era tanto que o cálice nunca foi roubado.

A Romênia,como a conhecemos hoje,não existia em períodos medievais.Só nasceu em fins do século XIX.Nos séculos XIV e XV existiam três principados:Valáquia,Moldávia e Transilvânia.O chefe de um principado desses era o Voivoda(espécie de Grão-Duque), que era eleito pelos boiardos,como eram chamados os nobres do leste europeu.A sucessão não era hereditária,mas eletiva.Isto causava alta corrupção em meio nobre. Vlad III era o voivoda da Valáquia,e devia votos de vassalagem ao rei da Hungria.Mas a Valáquia era um território duvidoso,pois ora prestava juramento a Hungria,ora ao Império Turco.Disto que o filme,e a história,tratam.

A História de Vlad III está intimamente relacionada com a resistência anti-turca, e a Queda de Constantinopla em 1453.Os turcos vieram da fronteira da China(terra do Turquestão)marchando até o Oriente Médio,e daí para a Europa Balcânica.Portanto,turcos são parentes de chineses,não de árabes.Nunca existiu nenhum 'Conde Drácula',pois este título só existia na Europa Ocidental.Os nobres do leste europeu, em geral, eram conhecidos como boiardos. O máximo que existia era o 'Voivoda Vlad'.O termo 'Drácula' ou 'Draculea',era apelido.

Em 1476 Vlad III morre na batalha contra os turcos. Dizem que o Sultão Mohamed II levou sua cabeça para o palácio de Constantinopla,mas não há nada certo.Em 1931 pesquisadores vasculharam a tumba de Vlad,o Empalador.Encontraram apenas ossos de animais.A lenda vampiresca foi espalhada por russos e turcos,até chegar ao livro de Bram Stoker,em fins do século XIX.Na atual Romênia Vlad é lembrado como salvador de seu país.E muitos rezam pelo seu retorno. Bjosss da fada dos cálculos.

Pintura do rosto de Vlad III

Castelo de Vlad

Sala de Estar do castelo

Castelo do rei Matias Corvino,rei da Hungria e senhor feudal de Vlad. Neste castelo Vlad ficou preso por vários anos,saindo da prisão casado com a irmã do rei.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Êxodus: Acertos Históricos e erros bíblicos

Recentemente fui ao cinema ver um clássico de Ridley Scott,chamado Êxodus. Com um diretor de renome assim,espera-se uma grande pesquisa histórica. Scott dirigiu 'Gladiador','Cruzada' e '1492-A Conquista do Paraíso'.Todos esses fazem parte da minha coleção. Mas ocorre que,atualmente,há um grande questionamento por detalhes da bíblia no meio acadêmico. Tudo isso ocorre,mais com finalidade de rebater uma religião supostamente hipócrita, do que busca científica de forma desinteressada.

Atualmente há uma série de revistas históricas,como 'Aventuras na História' da Editora Abril ou 'História Viva' da Editora Segmento(antiga Duetto) falando sobre esse tema,devido a produção do filme de Scott. Eu sou fã de ambas as revistas,mas vasculho fontes arqueológicas também.

Existem dois tipos de provas,quando se diz respeito às descobertas arqueológicas e notas para documentos históricos: A prova documental,mas pra isso é necessário ter o documento antigo(que é bastante frágil)e comprovar sua data através de detalhes lógicos,como escritos que 'encaixam' em certas épocas. Passando por esse teste,vem a comprovação físico-química: Existe um isótopo do Carbono(um tipo diferente de carbono)chamado Carbono-14,que se 'parte ao meio' a cada 5.600 anos,aproximadamente. Sendo assim,você submete ele(o documento)à prova do exame do carbono,e isso dará em 'quantas partidas' ele deu.Tudo isso é feito antes de colocar um dado em nossos livros de História.Abaixo podemos ver como funciona essa datação

Neste filme 'Êxodus',muitas realidades são levadas em conta pelos produtores,como o não haver prova histórica sobre o fato de como os hebreus foram parar no Egito,somente provas bíblicas. A bíblia não é um livro histórico,por isso não relata os fatos com detalhes.Verifica-se isso quando a filha de Jacó somente vem a ser mencionada na bíblia por causa do seu estupro,pois para o oriente antigo a mulher não tinha validade histórica,sendo mencionada somente como justificativa para 'ocorridas extraordinárias'.

Durante o filme verifica-se erros históricos, como colocar a Batalha de Kadesh com o faraó Set I ainda vivo,mas há bem poucos. Parece que chegamos a uma época em que a ciência arqueológica não mais está a serviço da bíblia. Mas há detalhes errôneos por lógica histórica,e até mesmo bíblica.Colocar Moisés como uma espécie de mistura de William Wallace,o 'Coração Valente da Escócia' com 'Guilherme Tell,o arqueiro suíço medieval' é erro tanto histórico como bíblico.

Mas o filme é fantástico,vale a pena ver. Mas sempre que vemos um filme ou documentário,e queremos nos aprofundar,devemos em seguida corrermos à leitura de muitas fontes.Bjosss da fada dos cálculos.